CHEGAR, VER E VENCER

Imagens: Orkelljunga VK

Antigo jogador da Selecção Nacional de Seniores Masculinos e jogador de Voleibol de Praia, Idner Martins abraçou muito recentemente a carreira de treinador.
Na Suécia, e na primeira época à frente do Orkelljunga VK, da Série Elite (Elitserien) do campeonato de masculinos, o técnico luso-brasileiro foi nomeado treinador do ano.

Como é ser reconhecido por todos treinadores/dirigentes/jogadores e apoiantes da Elitserien como “o melhor treinador da época 2020/21”?.
“Primeiro de tudo, gostaria de dedicar esta distinção à minha família (esposa e dois filhos), que partilha comigo todo o sacrifício e comprometimento exigido por estar fora de Portugal, a viver na Alemanha e a trabalhar na Suécia! Penso que esta distinção não prestigia só o meu trabalho desta época, mas sim todos os que participaram desta caminhada de transição de jogador para treinador, e nisso incluo todos os ex-colegas de equipa e também todos os treinadores em Portugal que participaram comigo nos cursos para treinadores desde o Nível 1, 2 e 3“.

O que é que esta distinção representa para o teu trabalho?
Pessoalmente, significa muito. Quando recebi a nomeação, fiquei muito contente por ter sido lembrado e perceber, então, que o trabalho executado estava a ser notado. Com a confirmação da distinção, fiquei ainda mais feliz, por saber que foram os próprios treinadores das outras equipas, dirigentes, jogadores e apoiantes da Elitserien que votaram para que fosse eu o escolhido.
Isto representa que sou um treinador que – apesar de «novo no mercado», no meu primeiro ano como profissional – apresento resultados positivos e que tomei a decisão certa quando decidi parar de jogar e seguir esta carreira de treinador, em busca do sonho de acrescentar algo ao Voleibol, de fazer a nossa modalidade crescer e melhorar em todos os campos. Penso que esta distinção é um grande incentivo para que continue no meu caminho, com os meus ideais e com muita esperança em relação ao que ainda vem pela frente

O teu passado como jogador da seleção e do alto nível teve algum peso neste sucesso?
“Acredito que sim. Parte do projecto em que estou envolvido é justamente poder passar parte desta experiência para os mais jovens, e prepará-los para uma futura vida profissional fora da Suécia. Nós, os que trabalhamos fora da nossa terra, sabemos que as exigências e contrariedades que enfrentamos são muito maiores do que os profissionais locais e temos que garantir um certo resultado pré-estipulado no início da época. Existem certos momentos do jogo e nos treinos, que só quem esteve lá dentro da quadra e em grandes palcos com alto nível de stress, é que sabe realmente oque está a passar na cabeça dos jogadores, tanto de um lado como do outro“.

E como viste a época que está a terminar e que ficou marcada pela pandemia de Covid-19?
“Vejo esta época, com muitos momentos diferentes e acredito que bastante mais complicados de gerir em todos os sentidos. Principalmente no meu caso, em que estive sempre sozinho a preparar a parte física, a táctica, os treinos, os jogos e mesmo os momentos de repouso. E no que diz respeito ao Covid-19, toda a estratégia de isolamento e contenção do vírus foram muito importantes para manter a equipa activa e com foco no campeonato, bem como na parte final do mesmo. Sabemos que os contratempos acontecem em todas as equipas e que teríamos que fazer o melhor possível nas condições em que nos encontramos.
Seguimos com afinco e sempre olhando pra frente e com ambição de fazer melhor, com a certeza que esta fase nefasta logo vai acabar, e nós seremos melhores seres humanos do que éramos anteriormente“.

Atletas / técnicos que actuam no estrangeiro e/ou com inscrição iniciada em 2020/2021:

Cuprum Lubin (Polónia) – Miguel Rodrigues
Woori Card Wibee (Coreia do Sul) – Alexandre Ferreira
Al Jazira SC (Emirados Árabes Unidos) – Marco Ferreira
Olimpia Teodora Pallavolo Ravenna (Itália) – Júlia Kavalenka
SAEMS Tourcoing Volley-Ball Lille Métropole – de Lourenço Martins
OSACC Haro Rioja Vóley (Espanha) – Marta Hurst
Dinamo de Bucareste (Roménia) / Lindemans Aalst (Bélgica) – José Pedro Gomes
UVC Holding Graz (Áustria, 1. Bundesliga) – José Jardim
UVC Holding Graz (Áustria, 1. Bundesliga) – Tiago Pereira
Martigues VB (França) – Francisco Pombeiro
Martigues VB (França) – Gerson Gomes
Orkelljunga VK (Suécia) – Rafael Cavalcanti
Istres Ouest-Provence Volley-Ball (França) – Beatriz Santos
Union AS Seyssinoise VB (França) – Sérgio Miranda
Chênois Genève (Suíça) – Rui Santos (Ruca)
VBC Val-de-Travers (Suíça) – Ana Paula Silva
VC Don Bosco Tournai (Bélgica, Div. Provincial) – Bruno Lobo
CAPCI (Bélgica) – João Luís Sousa
Amiens Métropole Volley-Ball – André Mata
Team South Wales (Inglaterra) – Mara Mata
LE Volleys (Alemanha, Regionalliga) – Matilde Silveira
Durham Palatinates Women (Inglaterra / Super League) – Susana Veiga
Quimper Volley 29 (França) – Kristyna Vojikova
Etudiant Club Orleanais (França) – Joana Gonzalez
Argenteuil VB 95 (França) – Carla Nina de Oliveira
Dartford (Inglaterra, Div. 1) – Mariana Santos
KSV (Dinamarca) – Maria Inês Lupi Caetano
KSV (Dinamarca) – Catarina Nunes
Volley Bartréng (Luxemburgo) – Ricardo Mota
Star-Ice (Bélgica/Provinciale) – Inês Mendes de Oliveira
Treinadores:
Orkelljunga VK (Suécia) – Idner Martins
Istres Ouest-Provence Volley-Ball (França) – André Sá
Istres Ouest-Provence Volley-Ball (França) – David Sousa
Degerfors Volley Orion (Suécia) – Ivan Nunes
Volley Lugano I (Suíça/LNA) – Filipe Lacerda
VBC Galina (Liechtenstein, 1. Liga Suíça) – Filipe Carrasco Soares
Blue Volei Clube (Angola) – André Pereira

Árbitros portugueses em acção nas competições internacionais

Ricardo Ferreira
Holanda x Suécia, do 2.º Torneio da Pool A de Qualificação para o campeonato da Europa 2021 de seniores masculinos, no dia 14 de Maio, na Holanda.
Suécia x Croácia, do 2.º Torneio da Pool A de Qualificação para o campeonato da Europa 2021 de seniores masculinos, no dia 15 de Maio, na Holanda.

Vítor Gonçalves
Espanha x Azerbaijão, Pool A da European Golden League – femininos, no dia 4 de Junho, em França.
França x Azerbaijão, Pool A da European Golden League – femininos, no dia 5 de Junho, em França.
Espanha x França, Pool A da European Golden League – femininos, no dia 6 de Junho, em França.

Pedro Pinto
Turquia x Bielorrússia, do Torneio da Pool C da European Golden League – masculinos, no dia 4 de Junho, em Portugal.
Bielorrússia x República Checa, do Torneio da Pool C da European Golden League – masculinos, no dia 5 de Junho, em Portugal.
República Checa x Turquia, do Torneio da Pool C da European Golden League – masculinos, no dia 6 de Junho, em Portugal.

Partilhar: