PORTUGUESES NO MUNDO

Foto: André Gouveia

José Pedro Gomes é mais um caso de sucesso do Voleibol português além-fronteiras.
Depois de já ter representado as equipas seniores do GC Vilacondense, Castêlo da Maia GC, AA S. Mamede, Vitória SC, WWK Volleys Herrsching (Alemanha) e Dinamo Bucuresti (Roménia), bem como a Selecção Nacional, o zona 4 luso, que já sofreu na pele os malefícios da pandemia, abraçou um novo desafio na Bélgica, envergando agora as cores do Lindemans Aalst, um forte candidato ao título nacional.

Na época passada, o Lindemans Aalst terminou em primeiro lugar a competição regular da Euromillions Volley League, mas, devido ao coronavírus, a fase de play-offs não foi disputada pelo que não lhe foi atribuído o título de campeão belga.
Embora com os pés bem assentes na terra, Zé Pedro Gomes mostra-se esperançado em que tudo regresse ao normal, se não a curto, pelos menos a médio prazo.

Como estás a encarar este salto qualitativo na tua carreira?
A experiência está a ser boa até agora. Houve um curto período de adaptação, pois os jogos recomeçaram logo no início de Janeiro. Felizmente, quer o clube quer os meus colegas, ajudaram-me imenso a sentir-me confortável e tudo tem corrido com naturalidade. O campeonato é muito competitivo e todos os jogos exigem a maior concentração e esforço, o que te faz crescer como atleta. Os próximos meses vão ser muito interessantes sem dúvida“.

Como estás a viver o desenrolar desta época tão atípica, que já teve de tudo: adiamento/cancelamento de jogos e competições, jogos sem público, etc.?
Com o COVID-19, tem sido uma época muito estranha. As constantes interrupções por casos dentro das equipas, inclusivamente aconteceu comigo também, obrigam a paragens longas que prejudicam a tua forma física e consequentemente o nível de Voleibol jogado. Todos os atletas tiveram que se adaptar à nova realidade e cumprir as regras o melhor possível, pois o mais importante é a nossa saúde e o bem-estar da sociedade em si. Há uma maior responsabilidade pois todos nós queremos que tudo volte ao normal o mais rápido possível. Jogos sem público… não são a mesma coisa. A adrenalina e a alegria de ver os fãs a vibrar connosco é um sentimento incomparável e só espero que já na próxima época seja possível assistir ao vivo e sem restrições ao grande espectáculo que é o Voleibol“.

Com estas condicionantes, quais são os objectivos que defines para os próximos tempos?
Os meus objectivos continuam os mesmos de sempre. Todos os dias dar o máximo de forma a desenvolver-me como atleta e conseguir alcançar performances que me permitam dar saltos na carreira, como aconteceu agora. O meu foco neste momento está no Lindemans e no mais importante, que são os resultados“.

Ocupando actualmente o 4.º lugar na Euromillions Volley League, a principal competição de seniores masculinos da Bélgica, o Lindemans visita o rival Knack Roeselare (2.º) no dia 16 de Janeiro, em jogo da 13.ª jornada.
No dia 30, a equipa de Zé Pedro Gomes defronta o Steengoed Arenavc Greenyard Maaseik (líder da Euromillions Volley League) nas meias-finais da Taça belga.

Atletas / técnicos que actuam no estrangeiro e/ou com inscrição iniciada em 2020/2021:

Cuprum Lubin (Polónia) – Miguel Rodrigues
Woori Card Wibee (Coreia do Sul) – Alexandre Ferreira
Al Jazira SC (Emirados Árabes Unidos) – Marco Ferreira
Olimpia Teodora Pallavolo Ravenna (Itália) – Júlia Kavalenka
SAEMS Tourcoing Volley-Ball Lille Métropole – de Lourenço Martins
OSACC Haro Rioja Vóley (Espanha) – Marta Hurst
Dinamo de Bucareste (Roménia) / Lindemans Aalst (Bélgica) – José Pedro Gomes
UVC Holding Graz (Áustria, 1. Bundesliga) – José Jardim
UVC Holding Graz (Áustria, 1. Bundesliga) – Tiago Pereira
Martigues VB (França) – Francisco Pombeiro
Martigues VB (França) – Gerson Gomes
Orkelljunga VK (Suécia) – Rafael Cavalcanti
Istres Ouest-Provence Volley-Ball (França) – Beatriz Santos
Union AS Seyssinoise VB (França) – Sérgio Miranda
Chênois Genève (Suíça) – Rui Santos (Ruca)
VBC Val-de-Travers (Suíça) – Ana Paula Silva
VC Don Bosco Tournai (Bélgica, Div. Provincial) – Bruno Lobo
CAPCI (Bélgica) – João Luís Sousa
Amiens Métropole Volley-Ball – André Mata
Team South Wales (Inglaterra) – Mara Mata
LE Volleys (Alemanha, Regionalliga) – Matilde Silveira
Durham Palatinates Women (Inglaterra / Super League) – Susana Veiga
Quimper Volley 29 (França) – Kristyna Vojikova
Etudiant Club Orleanais (França) – Joana Gonzalez
Argenteuil VB 95 (França) – Carla Nina de Oliveira
Dartford (Inglaterra, Div. 1) – Mariana Santos
KSV (Dinamarca) – Maria Inês Lupi Caetano
KSV (Dinamarca) – Catarina Nunes
Volley Bartréng (Luxemburgo) – Ricardo Mota
Star-Ice (Bélgica/Provinciale) – Inês Mendes de Oliveira
Treinadores:
Orkelljunga VK (Suécia) – Idner Martins
Istres Ouest-Provence Volley-Ball (França) – André Sá
Istres Ouest-Provence Volley-Ball (França) – David Sousa
Degerfors Volley Orion (Suécia) – Ivan Nunes
Volley Lugano I (Suíça/LNA) – Filipe Lacerda
VBC Galina (Liechtenstein, 1. Liga Suíça) – Filipe Carrasco Soares
Blue Volei Clube (Angola) – André Pereira

Supervisores e árbitros portugueses em acção nas competições europeias

Ricardo Ferreira
Pool B da Liga dos Campeões – femininos, Torneio a disputar em Nantes (França), de 26 a 28 de Janeiro de 2021.

Vítor Gonçalves
Pool A da Liga dos Campeões – femininos, a disputar em dois torneios – Torneio em Schwerin (Alemanha), de 2 a 4 de Fevereiro de 2021.

Partilhar: