16-MARÇO-2019
SL BENFICA x AJF BASTARDO
NA FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL

 


O SL Benfica venceu hoje a AA S. Mamede pela margem máxima (3-0: 25-13, 25-19 e 25-17) e vai defrontar na Final da Taça de Portugal - masculinos a AJF Bastardo, que eliminou (3-1: 19-25, 25-23, 30-28 e 25-22) o Sporting CP na outra meia-final da Final 4, a decorrer no Multiusos de Sines.
Fotos das meias-finais da Taça (Sofia Costa/CM Sines) aqui

SL Benfica x AA S. Mamede, 3-0 (25-13, 25-19 e 25-17)

Um serviço agressivo e preciso e a supremacia nas acções junto à rede, sobretudo no bloco, cedo deram ao SL Benfica, detentor do troféu em disputa, vantagem (15-8) no primeiro set frente a uma jovem e voluntariosa, mas algo inexperiente, AA S. Mamede. Resultado: 25-13.

A equipa de Nuno Coelho entrou melhor no segundo set e, com dois blocos consecutivos de Francisco Santos/Marcus Borlini, criou uma pequena vantagem (6-3).
O Benfica reagiu e saltou para a liderança, com um ataque de Raphael Oliveira a distanciar ainda mais os encarnados (14-12).
Bordini reduziu (18-17) e deu novo ânimo aos academistas, mas um bloco do central austríaco Peter Wohlfahrstatter afastou novamente a equipa orientada pelo brasileiro Marcel Matz (21-17).
Sem cometer erros, o SL Benfica levou outra vez a água ao seu moinho: 25-19.

O terceiro set começou de forma equilibrada (5-5, 9-9). A AA S. Mamede procurava bater-se de igual para igual, nunca virando a cara à luta, embora o Benfica começasse, paulatinamente, a tornar evidente a sua natural superioridade (15-11).
Algo desconcentrados, os jogadores nortenhos falharam dois ataques, piorando ainda mais a sua posição (19-14).
Um bloco de Théo e um serviço directo de Flávio Soares (Zelão) confirmaram o triunfo e a presença na final: 25-17.
Ver estatística aqui

Marcel Matz, Treinador do SL Benfica:
"Tínhamos a responsabilidade de nos qualificar-nos para a final e cumprimos. Estávamos à espera de mais dificuldades, mas ainda deu para «mexer um pouco» na equipa e preparar melhor o jogo de amanhã.
Se estávamos à espera de defrontar o Sporting? Qualquer das quatro equipas tinha capacidade para disputar uma final, por isso não existe favorito".

Nuno Coelho, Treinador da AA S. Mamede:
"Achamos sempre que seria possível fazer melhor, mas as dificuldades eram acrescidas por estar do outro lado da rede uma equipa de um patamar mais elevado do que o nosso, um adversário que ainda por cima foi sério e competente e não nos deu hipóteses de fazermos melhor".

Declarações de Tiago Violas aqui

AJF Bastardo x Sporting CP, 3-1 (19-25, 25-23, 30-28 e 25-22)

No primeiro set, um bloco de André Brown e um ataque poderosíssimo do cubano Angel Dennis guindaram o Sporting CP a uma liderança confortável no marcador (7-3). Pouco depois a diferença era já de seis pontos... e foi nessa altura que a AJF Bastardo reagiu, amenizando a diferença (5-9, 8-11).
Novo assomo dos experientes leões, com Dennis a superiorizar-se ao bloco açoriano (14-9).
Com a diferença a cifrar-se sempre nos três ou mais pontos, a AJF Bastardo teve de redefinir a sua estratégia, mas os serviços fortes de Marko Bojson continuavam a contrastar com os erros nesse fundamento por parte da equipa orientada por João Coelho (20-12).
Quando finalmente começou a acertar o seu serviço, a AJF Bastardo tornou-se bem mais perigosa (14-21) e obrigou Hugo Silva a tocar a reunir.
Reorganizada na sua recepção, a equipa de Alvalade controlou o jogo até ao final do parcial: 25-19.

No segundo set, dois blocos de Helder Spencer colocaram a formação da ilha Terceira em vantagem (5-2). Mais um ponto, desta vez no serviço, do camisola 4 e a AJF Bastardo reforçou a liderança (7-3).
Imprimindo mais agressividade no serviço e ataque, o Sporting igualou as forças (12-12), mas a AJ Fonte do Bastardo não abriu mão da liderança (15-13).
Nova igualdade (19-19) à entrada para a recta final, com dois pontos (ataque e serviço) de Spencer a fazerem a diferença (21-19). Depois, um par de pontos (ataque e serviço: 24-21) com a chancela de Rui Moreira abriram as portas ao triunfo da AJF Bastardo: 25-23.

O Sporting entrou melhor no terceiro parcial (8-5), mas a reacção da AJF Bastardo deu os seus frutos (9-9).
Contudo, dois erros, um no serviço e outro no ataque, atrasaram os açorianos (11-14). A vencer por quatro pontos (18-14), a equipa lisboeta não conseguiu suster a reacção e o entusiasmo crescente dos açorianos, que igualaram aos 20 pontos, deixando tudo em aberto.
Num autêntico jogo de nervos, com igualdades constantes, a AJF Bastardo acabaria por ser mais fria e vencer por 30-28.

Um ponto ao segundo toque do distribuidor Angel Melean mostrou que a AJF Bastardo iria fazer tudo para vencer o set e qualificar-se para a final (7-7). Dois blocos consecutivos de Spencer deram a liderança à AJF Bastardo (13-12).
Pontos de Vitalii Sukhinin, Kevin Rakestraw e Rui Moreira (serviço) catapultaram os açorianos (19-15).
A vencer por 22-17, a AJF Bastardo cedeu à pressão leonina (22-20). Contudo, o Sporting continuava a desperdiçar serviços e um bloco de Rui Moreira colocou a equipa de João Coelho a um ponto do fecho (24-20).
O resultado acabaria por ser selado com um 25-22.

Angel Dennis, com 24 pontos, e Rui Moreira (MVP), com 18, foram os melhores pontuadores do jogo.

Ver estatística aqui

João Coelho, Treinador da AJF Bastardo:
"Se analisarmos este jogo, ninguém terá dúvidas de que foi o melhor colectivo que venceu. Começámos mal, melhorámos no segundo set, depois o Sporting reagiu, mas não demos o jogo como perdido e mesmo com alterações formámos sempre um grupo irrepreensível. Foi isso que fez a diferença, mais do que qualquer individualidade.
Amanhã teremos de ser ainda mais fortes e coesos. Vamos ter de colocar todo o nosso querer em campo. Somos a equipa que se está a intrometer nos dois tubarões, o que nos obriga a jogar sempre no nosso máximo, mas estes atletas merecem, mais do que ninguém, o prémio de disputar uma final da Taça de Portugal
".

Hugo Silva, Treinador do Sporting CP:
"Sendo Taça, qualquer um dos quatro semifinalistas pode vencer. Foi um jogo muito disputado. Parabéns à AJF Bastardo pois lutou até ao fim pela vitória.
Nós jogámos como é habitual, mas depois aconteceram duas coisas: não soubemos superar fases más que ditaram o desfecho em cada set e algumas decisões da equipa de arbitragem que penderam quase sempre para o nosso adversário impossibilitaram a nossa resposta.
Agora? Temos de continuar a trabalhar para alcançarmos o outro objectivo que temos pela frente [Campeonato Honda]"
.

O SL Benfica é a equipa com mais títulos conquistados (17) na prova, o primeiro em 1965/1966 e o último em 2017/2018, tendo erguido o troféu por seis vezes nas últimas onze finais.
O SC Espinho é o segundo clube com maior número de taças (12). Foi o primeiro vencedor da competição, em 1964/1965, e detém o recorde de maior número de taças conquistadas consecutivamente (6), entre a época de 1995/1996 e de 2000/2001.

54 Edições: SL Benfica (17), SC Espinho (12), C. Maia GC e FC Porto (6), Leixões SC (5), Sporting CP (3) e AJF Bastardo, Vitória SC, Esmoriz GC, ISEF e IS Técnico.

Resultados das últimas 12 finais
2018 – SL Benfica Castêlo da Maia, 3-1
2017 – SC Espinho x SL Benfica, 3-0
2016 – SL Benfica x AJF Bastardo, 3-1
2015 – SL Benfica x SC Espinho, 3-0
2104 – Castelo da Maia GC x AJF Bastardo, 3-2
2013 – AJF Bastardo x Vitória SC, 3-0
2012 – SL Benfica x AA Espinho, 3-1
2011 – SL Benfica x SC Espinho, 3-0
2010 – Castelo da Maia GC x SL Benfica, 3-1
2009 – Vitória SC x SC Espinho, 3-2
2008 – SC Espinho x Vitória SC, 3-0
2007 – SL Benfica x Castelo da Maia GC, 3-0

Resultados dos quartos-de-final:
8.02.2019
AJF Bastardo x AA Espinho, 3-0 (25-16, 25-13 e 25-15)
3.03.2019
VC Viana/Casa Peixoto x AA S. Mamede, 2-3 (25-21, 25-20, 21-25, 23-25 e 10-15)
SL Benfica x Vitória SC, 3-0 (25-15, 25-19 e 25-14)
10.03.2019
Sporting CP x Esmoriz GC, 3-1 (25-27, 25-21, 25-17 e 25-20)

Em 2017/2018, o SL Benfica venceu (3-1: 24-26, 25-18, 25-22 e 25-12) o Castêlo da Maia GC na final, disputada em Sines.

Histórico da Taça de Portugal aqui e aqui

Informações adicionais em www.fpvoleibol.pt / Facebook e Volei TV

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS