15-JANEIRO-2019
LIGA DAS NAÇÕES 2019: PORTUGAL
DEFRONTA OS PESOS-PESADOS
 

A Liga das Nações de Voleibol 2019 (Volleyball Nations League - VNL) constituirá para a Selecção Nacional de Seniores Masculinos um verdadeiro trabalho de Hércules, tão elevado é o nível das selecções que vão disputar esta competição, digna sucessora da prestigiada Liga Mundial.

Após a brilhante qualificação para o Campeonato da Europa 2019, com a conquista do 1.º lugar na Pool D, Portugal estreia-se da melhor forma na VNL já que acolherá, nos dias 14 a 16 de Junho, no Multiusos de Gondomar, a Pool 9, que traz ao nosso País as selecções do Brasil, Sérvia e China, respectivamente 1.º, 10.º e 20.º posicionados no Ranking Mundial (1 de Outubro de 2018).

Mas há mais: os lusitanos iniciam a VNL 2019 na Argentina (Pool 2 / 31 de Maio a 2 de Junho), onde terão como adversários, para além dos argentinos, os canadianos e os búlgaros.

Segue-se a viagem para a Rússia (Pool 6 / 7 a 9 de Junho), onde defrontará russos, norte-americanos e italianos.

De 14 a 16 de Junho, Portugal recebe Brasil, Sérvia e China (Pool 9), viajando depois para o Irão (Pool 15 / 21 a 23 de Junho), onde enfrentará iranianos, franceses e australianos.

Esta fase preliminar terminará na Alemanha (Pool 20 / 28 a 30 de Junho), e Portugal defrontará o Japão, a Polónia e a Alemanha.

João José, Treinador Adjunto da Selecção Nacional, reconhece as dificuldades de defrontar os pesos-pesados do Voleibol mundial:
O primeiro objectivo será conseguirmos permanecer na Liga das Nações, pois esta nova competição é a antiga Liga Mundial com um padrão ligeiramente novo. Vai ser complicado.
O mais importante é que, enquanto grupo, temos de pensar que continuamos com as mesmas dificuldades.
O seu ponto forte é que é um grupo que vale pelo colectivo e que neste momento está sólido. Percebe muito bem quais são os seus pontos fortes e fracos e procura lidar da melhor maneira com isso, o que faz com que a equipa tenha vindo a crescer.
Nesta competição, vamos encontrar equipas com outros argumentos, claramente.
Temos de ser realistas. Apesar da Golden European League apresentar um nível bom, acima da Liga Europeia, vamos encontrar agora a elite mundial, selecções com outros argumentos, com outra experiência e que nos vão causar muito mais dificuldades do que aquelas que enfrentámos anteriormente.
Temos de provar que estamos ao nível destas selecções. Vamos disputar uma pool em casa que é complicada, com o Brasil e a Sérvia, duas equipas que estão sempre no topo da elite mundial, e a China, que, apesar de algumas oscilações, ano após ano, consegue ser eventualmente a mais acessível deste grupo.
Depois de garantirmos a permanência, vamos procurar alcançar a melhor classificação possível
”.

Como jogador, João José rubricou êxitos muito importantes: 9 títulos de campeão nacional, melhor blocador do mundo em 2002, campeão europeu de clubes em 2006/2007 pelos alemães do VFB Friedrichshafen, entre outras distinções internacionais, bem como um célebre triunfo sobre o campeoníssimo Brasil: vitória por 3-0 em Almada e 5.º lugar de Portugal na Liga Mundial de 2005.

Recorde-se que a Selecção Nacional de Seniores Masculinos vai disputar a Liga das Nações 2019 após ter conseguido vencer na Final da Volleyball Challenger Cup 2018 a República Checa por 3-1 (18-25, 25-22, 25-19 e 25-16).

A Liga das Nações é disputada por 16 selecções nacionais: 12 «fixas» que estão sempre qualificadas para a competição e quatro «desafiadoras» (em 2019, Portugal, Canadá, Bulgária e Austrália), sendo que a última classificada destas selecções desce à Golden League, sendo substituída pela vencedora da Challenger Cup, um torneio que qualifica o vencedor para a próxima edição da Liga das Nações como equipa «desafiadora».

A VNL é composta por duas fases.
A Fase Preliminar desenrola-se ao longo de cinco semanas. Cada semana, as selecções participantes são organizadas em pools de quatro equipas, disputadas em sistema de «round-robin» (todos contra todos) em países diferentes.
Qualificam-se para a Final Six as cinco primeiras da classificação geral, que se juntam à selecção do país organizador desta etapa decisiva.
As seis selecções participantes formam duas pools de três equipas, que se defrontam no sistema de «round-robin».
Os 1.º e 2.º classificados de cada pool apuram-se para as meias-finais e jogam em sistema cruzado (o 1.º classificado de uma pool defronta o 2.º classificado da outra pool).
Os vencedores encontram-se na Final para competir pelo título da VNL. 

Em masculinos, a Rússia venceu a primeira edição da Liga das Nações ao derrotar, na final disputada na cidade gaulesa de Lille, a França pela margem máxima: 3-0 (25-22, 25-20 e 25-23).

Em femininos, os Estados Unidos da América venceram a primeira edição da Volleyball Nations League ao superarem, na final, em Nanjing, na China, a Turquia pela margem mínima: 3-2 (17-25, 25-22, 26-28, 25-15 e 15-7).

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS