05-JULHO-2018
PORTUGUESAS PROMETEM
LUTA NO QUADRO PRINCIPAL


A dupla portuguesa Gabriela Coelho/Vanessa Paquete defronta amanhã, pelas 13h10, a dupla brasileira Ana Patrícia/Rebecca no Campo Central (transmissão em directo na Volei TV) no terceiro dia de prova do Espinho Open, a etapa de quatro estrelas do Circuito Mundial de Voleibol de Praia, organizanada na Praia da Baía pela FPV com o apoio da Câmara Municipal de Espinho.

O momento mais empolgante de hoje aconteceu precisamente no jogo inaugural da única dupla lusitana ainda presente na competição.
Frente às tailandesas Varapatsorn Radarong e Tanarattha Udomchavee, as portuguesas venceram o primeiro set (21-19), mas cederam o segundo (18-21).
No terceiro e decisivo parcial, a dupla lusitana, fortemente apoiada pelo público, superou a sua adversária pelo resultado tangencial de 16-14.

Seguidamente, as portuguesas defrontaram as alemãs Anna Behlen e Sarah Schneider tendo perdido por 0-2 (22-24 e 17-21).

Gabriela Coelho foi a porta-voz da dupla lusa:
"De manhã, disputámos um jogo muito renhido e discutido. O público apoiou-nos sempre e isso ajudou-nos muito, motivando-nos.
Este segundo jogo foi também muito disputado. Perdemos o primeiro parcial nas vantagens e no segundo set continuámos a tentar discutir a vitória, mas elas ganharam uma grande vantagem e, apesar da nossa recuperação, era praticamente impossível ganhar. Amanhã é um novo dia e contamos com o apoio do público para conseguir uma nova vitória para Portugal
".

No Quadro Principal de masculinos, Roberto Reis e Fabrício Silva "Kibinho" vão defrontar (11h30, no Campo Central) os sérvios Kolaric e Basta, carrascos dos portugueses Luís Gomes e José Silva.

Os jogos disputados no Campo Central serão transmitidos em directo na Volei TV.

Apesar da luta, os portugueses
foram eliminados no Qualifying

Na Fase de Qualificação de masculinos, os portugueses não foram felizes.

Luís Gomes e José Silva perderam (0-2: 13-21 e 17-21) com os sérvios Kolaric e Basta.

José Silva reconheceu:
"Defrontámos uma dupla sérvia forte, que já está habituada a este tipode competições. Contávamos estar melhor, fundamentalmente no primeiro e segundo toque, mas sentimos que estávamos um bocado irregulares e isso não nos possibilitou fazer o sideout. Depois, a estatura deles e o seu podrio físico vieram ao de cima. Acabou por ser um jogo não muito bem disputado, mas que resultou numa boa experiência, que nos deixou a noção de que temos de trabalhar mais um bocado.

Luís Gomes acrescentou:
"Em termos de experiência foi muito gratificante. Foi um momento que poderá ter sido único. Notámos que o nível é muito diferente de outras competições, mas acho que esta experiência no Circuito Mundial nos vai fazer crescer como atletas".

Luís Freitas e Tiago Pereira também remaram contra a maré, tendo perdido 0-2 (16-21 e 19-21) com os holandeses Dirk Boehlé e Steven Van de Velde.

Luís Freitas salientou:
"O que faltou foi basicamente de ritmo competitivo. Estamos a jogar com as melhores duplas do mundo, que são, na maior parte senão na totalidade, profissionais de Voleibol de Praia. Apesar de ser o Qualifying, esta dupla tem um andamento totalmente diferente do nosso e hoje faltou-nos, essencialmente, um bocadinho de experiência.
O balanço só pode ser positivo porque esta é uma experiência que se pudéssemos, repetiríamos semanal ou diariamente, pois representar Portugal é sempre um orgulho e um prazer, para mais a um nível tão alto como este
".

Mais informações sobre o Espinho Open aqui  em www.fivb.com

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS