26-JUNHO-2018
ESPINHO OPEN VOLTA A SEDUZIR
A ELITE MUNDIAL DO VOLEIBOL DE PRAIA


A Federação Portuguesa de Voleibol (FPV) e a Câmara Municipal de Espinho (CME) realizaram hoje, no Salão Nobre da autarquia, uma Conferência de Imprensa para apresentação do Espinho Open, etapa de 4 estrelas do Circuito Mundial de Voleibol de Praia (FIVB World Tour), agendada para os dias 4 a 8 de Julho, na Praia da Baía, em Espinho.

Esta etapa de 4**** do Circuito Mundial marca o regresso das grandes competições internacionais de dimensão mundial às famosas areias das praias de Espinho, uma cidade com pergaminhos e tradição na modalidade, célebre por ser palco de 13 edições consecutivas do Open de Portugal, evento que integrava o Circuito Mundial (FIVB Beach Volley World Tour).

A Câmara Municipal de Espinho, que esteve representada também pelo Vice-Presidente António Vicente Pinto, responsável por, entre outros, o pelouro da Divisão de Desporto, saudou o regresso das competições internacionais de Voleibol de Praia à cidade pela voz do seu Presidente, Joaquim Moreira.

"Depois da experiência da etapa de duas estrelas realizada no ano passado, estou particularmente feliz por poder anunciar um upgrade quantitativo e qualitativo com esta etapa de quatro estrelas e agradeço à Federação Portuguesa de Voleibol a confiança que voltou a depositar na Câmara Municipal de Espinho.
Faz-nos reviver velhos tempos, pois, e com excepção da competição disputada no ano passado, desde 2007 que não se realizavam competições desta grandeza em Espinho, uma cidade em que se respira Voleibol e se vive com paixão e intensidade o Voleibol de Praia e que tem como símbolos os seus atletas de projecção mundial Miguel Maia e João Brenha, que representaram Portugal nos Jogos Olímpicos.
Permitam-me ainda uma palavra de apreço a Vicente Araújo, Vice-Presidente da Federação, e a toda a equipa da FPV que também têm uma ligação quase umbilical a Espinho.
Por isso, não tenho dúvidas de que o Espinho Open será um sucesso organizativo e competitivo, pois estarão presentes as melhores duplas mundiais, o que só por si garante espectáculos de enorme qualidade
Esta competição é de extrema importância. Sempre nos afirmámos como a Capital do Voleibol nacional, mas isto não é uma mera proclamação, pois tem de se demonstrar efectivamente na prática.
Atrair eventos desta dimensão, com os melhores atletas mundiais, evidentemente catapulta Espinho para níveis de promoção turística também importantes.
Afirmamo-nos como Capital do Voleibol nacional e aproveitamos este veículo como promoção turística da nossa própria cidade.
Não tenho a mais pequena dúvida de que vamos ter o estádio completamente cheio, não só de espinhenses como daqueles que apreciam o Voleibol de Praia
".

Vicente Araújo, Vice-Presidente da FPV, salientou:
"É para nós, Federação, um privilégio estar aqui novamente e fortalecer a parceria com a Câmara Municipal de Espinho.
Com esta competição de 4 estrelas, estamos a recuperar o lugar entre a elite mundial no Voleibol de Praia, um pouco à semelhança do que fizemos, no passado fim-de-semana, no Voleibol indoor ao conquistarmos o primeiro lugar na Volleyball Challenger Cup e assim ingressarmos na Nations League, onde está a nata do Voleibol mundial. 
Com o regresso do Espinho Open, a cidade volta a estar nas bocas do mundo, sendo que a areia da Praia da Baía é já um ícone entre os praticantes de Voleibol de Praia de países de todos os continentes.
No ano passado, realizámos aqui uma etapa de duas estrelas do World Tour só de masculinos, que serviu para ensaiar o Espinho Open de quatro estrelas que vamos realizar de 4 a 8 de Julho, agora com 32 duplas de masculinos e 32 duplas de femininos no Qualifying.
Durante 13 anos consecutivos, foram muitos os grandes momentos de alegria que se viveram em Espinho durante os opens e as etapas de Grand Slam que eram considerados muito importantes no calendário da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) e que todos os grandes jogadores, como o alemão Julius Brink ou o brasileiro Ricardo Santos, vencedores da prova em diversas ocasiões, gostavam de disputar.
Para além disso, teremos no Quadro Principal a jovem dupla formada por Gabriela Coelho e Vanessa Paquete, esta última uma atleta natural de Espinho, que é a primeira aposta da Federação numa dupla praticante de Voleibol de Praia a tempo inteiro, à semelhança do que se faz há algum tempo noutros países que têm vindo a singrar na modalidade.
Durante décadas tivemos como símbolos do Voleibol de Praia as duplas Miguel Maia/João Brenha e Maria José Schuller/Cristina Pereira e agora é tempo de encontrar, entre os mais jovens, duplas que apostem no Voleibol de Praia a tempo inteiro, pois hoje em dia só assim é que os atletas poderão permanecer ao mais alto nível.
São diversos os aliciantes e condimentos que estão reunidos para que possamos assistir a uma competição de Voleibol de Praia do mais alto níve
l".

Highlights do Espinho Open 2018

. O Espinho Open – Etapa de 4 estrelas do World Tour – Circuito Mundial de Voleibol de Praia realiza-se de 4 a 8 de Julho.

. Será a 15.ª vez que a Praia da Baía acolhe uma competição de Voleibol de Praia do mais alto nível.

. Durante 13 anos [de 1995 a 2007, em masculinos], a Praia da Baía acolheu o Open de Portugal, considerada uma das mais apetecidas etapas do Circuito Mundial (World Tour).

. Tanto para a FIVB, como para os atletas e os seus treinadores, Espinho foi sempre considerada uma da etapa de eleição, pela sua organização, a beleza natural das praias de Espinho, qualidade da areia, público, hospitalidade, etc..

. No ano passado (2017), a etapa de duas estrelas de masculinos serviu para a FPV retomar a organização de provas do Circuito Mundial.

. Este ano, o Espinho Open assume outra dimensão, pois é de 4 estrelas no ranking do World Tour e torna-se ainda mais aliciante pelo facto de se disputar simultaneamente o torneio feminino, igualmente na Praia da Baía.

COMPETIÇÃO

. Na Fase de Qualificação estarão em acção 32 duplas, com eliminação simples, apurando-se 8 de cada género para o Quadro Principal (32 duplas).

. No Quadro Principal, estarão duas duplas portuguesas (Roberto Reis / Fabrício Silva (Kibinho), campeões nacionais em título, e Gabriela Coelho / Vanessa Paquete).

- No próximo fim-de-semana, na 3.ª etapa do Campeonato ActivoBank, a disputar em Espinho, serão apuradas as duplas portuguesas (1 de masculinos e 1 de femininos) para a fase de qualificação do Espinho Open.

Um historial rico

Miguel Maia / João Brenha foi a dupla espinhense de Voleibol de Praia mais famosa a nível nacional e uma das mais célebres e duradouras a nível internacional, que dignificaram a sua cidade-natal, o País e o Voleibol além-fronteiras.

A história recente do Voleibol de Praia nacional no que diz respeito aos escalões mais jovens também tem apresentado resultados dignos de registo.
A dupla Mariana Filipe Alexandre/Joana Neto, atletas do Centro de Alto Rendimento de Voleibol de Praia da FPV (CTARVP), rubricou mesmo uma página de ouro no desporto português ao alcançar, pela primeira vez no historial do Voleibol de Praia nacional em femininos, a medalha de prata no Campeonato da Europa de Sub-18.

José Pedrosa e José Teixeira foram os primeiros portugueses a sagrarem-se campeões europeus de Sub-23, em Esposende, em 2001, depois de, em 1996, Jorge Alves e João Silva terem sido vice-campeões europeus de Sub-20, em Jurmala, na Letónia.

Em 1997, os mesmos José Pedrosa e José Teixeira tinham sido medalhados com o bronze no Europeu de Sub-20, em Zagreb, na Croácia.
Também em 2010, Rui Moreira e Ricardo Alvar classificaram-se num honroso 9.º lugar no Campeonato da Europa de Sub-23, realizado na ilha grega de Kos. Rui Moreira tinha já sido 9.º classificado no Europeu de Sub-18, em 2006.

Em 2012, Joana Resende e Tânia Oliveira, vice-campeãs nacionais, e Januário Silva/Sebastião Alves classificaram-se em 9.º lugar no 6.º Campeonato do Mundo Universitário de Voleibol de Praia, disputado na cidade brasileira de Maceió.

Em 2013, Juliana Antunes Rosas e Tânia Oliveira venceram, no Porto, o Europeu Universitário e, em 2014, Rosa Couto e Marta Hurst, campeãs nacionais de seniores, atingiram o 5.º lugar na classificação geral do Mundial Universitário, disputado também na Cidade Invicta.
Igualmente em 2013 e no Porto, Diogo Maia / Tomás Silva e Francisco Pombeiro / Bernardo Martins alcançaram um excelente 9.º lugar no Campeonato do Mundo de Sub-19.

Nos VIII Jogos Desportivos CPLP – Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa, disputados na Foz do Lizandro, na Ericeira, Diogo Maia e António Nazário conquistaram a medalha de ouro e Inês Pereira e Valéria Rodrigues foram medalhadas com a prata.

Em 2014, as duplas Ricardo Cardoso / Tomás Sousa e Beatriz Pinheiro / Inês Castro conquistaram a medalha de prata nos torneios de Voleibol de Praia dos IX Jogos CPLP, que decorreram em Angola.
Ainda em 2014, as duplas Diogo Maia/Tomás Silva e Vanessa Paquete/Daniela Silva foram vice-campeãs do Torneio de Sub-21 da WEVZA, na Albufeira do Azibo.

Em 2015, e no regresso a Macedo de Cavaleiros, Diogo Pereira/Bruno Santiago foram medalhados com o ouro em Sub-19 e Francisco Pombeiro/José Jardim com a prata em Sub-21.
Ainda em Sub-19, Bárbara Freitas/Sara Mendonça e João Nuno Pedrosa/João Alves alcançaram o 4.º lugar nos torneios da WEVZA.

Em 2017, Francisco Pombeiro e José Jardim foram 17.ºs classificados no Europeu de Sub-22, disputado na cidade austríaca de Baden.

Informações adicionais em www.fivb.com

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS