24-JUNHO-2018
LIGA DAS NAÇÕES À ESPERA DE PORTUGAL


A Selecção Nacional de Seniores Masculinos, orientada por Hugo Silva, vai disputar a Liga das Nações 2019 (Volleyball Nations League), após vencer na Final da Volleyball Challenger Cup a República Checa por 3-1 (18-25, 25-22, 25-19 e 25-16).
Este «prémio», mais do que merecido para o seu percurso na Golden European League e na Challenger Cup, que hoje terminou no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos possibilitou uma festa conjunta entre os jogadores e equipa técnica e médica e um público com um entusiasmo contagiante e motivador...

No último degrau do pódio desta competição ficou a Estónia ao vencer Cuba por 3-0 (30-28, 25-21 e 25-16) em jogo de atribuição dos 3.º e 4.º lugares da Challenger Cup disputado no CDC Matosinhos. 

Portugal x Rep. Checa, 3-1 (18-25, 25-22, 25-19 e 25-16)

1.º Set
As duas equipas entraram em campo com evidente vontade de liderar o marcador e o ritmo do jogo e talvez por isso, e pelos serviços falhados, as forças se tenham mostrado tão equilibradas (11-11) inicialmente.
Contudo, o nervosismo e a ansiedade de Portugal, a actuar perante o seu público, levava-o a cometer erros pouco usuais: aos 17-14, 10 pontos dos checos eram oriundos de erros dos portugueses...
Um bloco individual de Jan Hadrava complicou ainda mais as coisas (21-16) e o triunfo checo não tardou a concretizar-se, num serviço directo de Donovan Dzavoronok: 25-18.

2.º Set
A vencer por 9-4, Portugal viu os checos recuperarem alguns pontos, mas logo Lourenço Martins, com um serviço directo, dilatou novamente a diferença. Os checos não desistiram e um serviço directo de Donovan Dzavoronok voltou a reaproximar a equipa de Michal Nekola (16-14).
Três ataques de Marco Ferreira foram um balão de oxigénio para a equipa lusitana (21-18).
Dois ataques fulminantes de Alex Ferreira acabaram com a resistência checa: 25-22.

3.º Set
O seis do Leste europeu entrou melhor (4-1), mas o «duelo» Alex Ferreira x Donovan Dzavoronok dava frutos para Portugal e entusiasmava o público e a equipa das quinas passou para a frente (8-7).
Sempre na liderança, Portugal chegou aos 20-15 com um serviço de Filip Cveticanin, o que motivou o toque a reunir por parte de Michal Nekola. Debalde, já que um bloco de Marco, um serviço de Miguel Tavares, um ataque de Alex e outro de Lourenço ditaram o triunfo: 25-19.

4.º Set
A exibição da equipa portuguesa empolgava o animado público e este motivava ainda mais a Selecção Nacional (4-1). O bom momento da equipa orientada por Hugo Silva era notório e um bloco de Lourenço Martins permitia a Portugal continuar a arriscar no serviço e ao mesmo tempo a gerir a vantagem (15-10, 20-15).
O bilhete de ingresso na Liga das Nações 2019 foi conseguido aos 25-16, com chave-de-ouro: um serviço directo de Miguel Tavares.

Alexandre Ferreira e Marco Ferreira, respectivamente com 22 e 19 pontos, foram os melhores pontuadores do jogo, enquanto Jan Hadrava foi o checo mais concretizador, com 12 pontos.
Ver estatística aqui 

Hugo Silva, treinador de Portugal:
"Este é um momento que marca para a vida quem aqui esteve. É o momento mais importante para a Selecção Nacional, desde a vitória na Liga Europeia de 2010, pois coloca-nos no topo das equipas europeias e dá-nos o acesso à Liga das Nações.
Vai ser um desafio para nós trazer cá as grandes selecções mundiais.
Não acredito em fórmulas milagrosas, só no trabalho diário e num querer muito grande deste grupo para deixarmos algo que fique na memória de toda a gente, que ajude a ultrapassar o estigma de que os outros são melhores do que os portugueses".

Marco Ferreira, oposto de Portugal:
"O que sentimos neste momento é muita alegria e uma enorme felicidade porque conquistámos o nosso objectivo e recompensámos todo o apoio que nos dispensaram aqueles que acreditaram sempre em nós.
Creio que foi o espírito de grupo desta Selecção que permitiu alcançar esta qualificação para a Liga das Nações.
Entrámos neste jogo com muita ansiedade, mas depois mostrámos aquilo que nos define como equipa, pois somos muito aguerridos, lutadores e unidos.
Agora, vamos encarar a qualificação para o Campeonato da Europa de 2019 com a mesma humildade e dedicação."

Michal Nekola, Treinador da República Checa:
"Hoje foi uma vitória fácil para Portugal, que apresentou um melhor sideout e um ataque bem mais eficaz do que o nosso. A meu ver, foi isso que fez a diferença neste jogo".

Estónia x Cuba, 3-0 (30-28, 25-21 e 25-16)

1.º Set
Início equilibrado em termos de marcador (8-8), mas a maior eficácia dos cubanos no ataque perdia-se nos serviços desperdiçados, ao contrário dos estónios que chegaram aos 20-16 com o segundo serviço directo de Markkus Keel. A equipa de Nicolas Coffigny reagiu (24-24) e os europeus só conseguiram o triunfo por um apertado 30-28.

2.º Set
Com um arranque portentoso (7-2), a Estónia foi explorando as debilidades do seu oponente na recepção e defesa, enquanto, no ataque, Renee Teppan rivalizava com os cubanos Miguel Castro e Osniel Melgarejo Hernandez. Robert Täht manteve a distância (19-14, 21-16). Dois pontos de Marlon Herrera amenizaram a diferença (23-20, mas a Estónia não deixou fugir a vitória: 25-21.

3.º Set
Com a Estónia senhora do jogo, Gheorghe Cretu aproveitou para rodar a sua equipa e dar oportunidade aos jogadores menos utilizados. Isso equilibrou as forças (10-10), mas não mudou o rumo dos acontecimentos favorável aos europeus (21-14, com dois pontos do central Mart Naaber). Resultado: 25-16 e medalha de bronze na Challenger Cup.

Miguel Gutierrez Suarez, com 15, e Renee Teppan, com 13, foram os melhores pontuadores do jogo. Ver estatística aqui

Robert Täht, zona 4 da Estónia:
"É verdade que não estamos totalmente satisfeitos com o 3.º lugar final, pois viemos para ganhar a competição. Hoje já jogámos melhor e tivemos uma boa prestação de jogadores que não têm actuado tanto. Esta competição tem um bom nível... e a República Checa venceu-nos ontem e apurou-se para a final, mas continuo a achar que a nossa equipa é melhor do que a dos checos. É a minha opinião".

Nicolas Coffigny, treinador de Cuba:
"Creio que hoje jogámos melhor do que ontem. Foi muito difícil defrontar a Estónia, que tem jogadores altos e um bom bloco.
Sublinho o que disse antes: temos uma equipa jovem mas que vai crescendo pouco a pouco".

Mais informações em http://challengercup.volleyball.world/en

Mais informações na FIVB e na CEV

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS